Se essa página


Rio de Janeiro, 2013

Se essa página em branco fosse minha vida, seria difícil não acreditar em liberdade. Ora, se assim fosse, como se cada palavra escrita representasse um suspiro de viver, ou o destino está atrasado ou eu realmente sou o autor da minha própria história.

Ainda assim pensando, com simplicidade se apresentariam algumas verdades: não é que cada palavra escolhida faria total diferença? Quando a linha acaba e o espaço é preenchido, todavia ainda há novos espaços em branco.

Não seria melhor continuar ao invés de tentar reescrever?

Então cada fase seria um novo parágrafo. Insistir ou mudar de assunto seria uma escolha absolutamente minha. Enredo, tema, personagens. Assim decidiria pelo tamanho ou onde pôr vírgulas. Até entre a dúvida por perguntas ou afirmações há um momento para pontos finais.

Poderia falar de amor, descrença ou política. Que farei eu deste texto? Não é que a escolha é mesmo minha?

Cedo ou tarde seria preciso encontrar harmonia. Isto é, se esta página fosse mesmo minha vida, acabei de chegar à metade do caminho e nada de ninguém me ajudar. Quanta responsabilidade!

Agora, ciente, poderia deixar a confusão para trás. Trataria de priorizar os bons pensamentos, estes sim selecionam as melhores palavras. Criam as melhores histórias. Seria verdadeiro em minha trama, sincero em meu roteiro e autêntico em minha mensagem. Afinal, a história é minha.

Largaria tudo e me entregaria à poesia. Entre a vida e a ficção, aposto que ambas são sinônimos de criação. Assim, criaria. Por cada novo espaço, novos motivos e novas orações. Leve e fluído.

Se essa metáfora fosse uma semente e encontrasse ambientes férteis, não ficaria mais natural o desabrochar de velhas vidas? Páginas seriam escritas com mais significância e a futuridade dos espaços em branco seria respeitada como ela merece – impávida; infinita.

Mas se toda esta página, que já não está mais em branco, fosse apenas uma página e não uma metáfora sobre a vida, que opção teria senão esquecer este texto, partir para a próxima e, virar a página?

 (Marcelo Penteado)

Anúncios

Sobre Marcelo Penteado

My writing may speaks for me: https://www.facebook.com/sigoescrevendo

4 Respostas para “Se essa página

  1. Wow, this is really interesting reading. I am glad I found this and got to read it. Great job on this content. I like it.

    Curtir

  2. Simone Silva

    “Se essa metáfora fosse uma semente e encontrasse ambientes férteis’…
    Não é só essa metáfora, são todos outros textos e crônicas que você escreve são sementes férteis simmm, pois quando paramos e deliciamos com todas essas palavras nossas mentes começam a analisar nossas vidas e cria se um momento de reflexão e por instantes enxergamos com a mesma ótica que você!!!

    Que Deus continue te abençoando mais e mais….

    Curtir

  3. Me permite reescrever o final? Me incomodou a repetição de tantas “páginas”! rsrs. Mas adorei o texto. Um melhor que o outro, Mr. Penteado! 😉

    Mas se toda esta folha, não mais em branco, fosse apenas o que é, e não uma metáfora sobre a vida, que opção teria senão esquecer este texto, partir para a próxima e, virar a página?

    Curtir

  4. Marcelo, a cada dia percebo que se superas. O que é esse texto?! Uma perplexidade?!Uma alma leitora, convivendo tantos e tantos anos com inúmeras palavras, numa grandiosa diversidade de textos e contextos, não consegue uma “forma” de expressar este sentimento que me toma, ao terminar a leitura de mais um irrepreensível e magistral texto. Será que não mais serei surpreendida? Será que ficarei paralisada diante desta “última” obra? Não me permitirei à descrença. Vires à página, partas para o próximo, os próximos, continues esta jornada … pois: “há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam, mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam, para sempre.” Cecília Meireles
    Isto que produzes é arte! Deixa marcas, para sempre, como as pessoas.
    Então, retomemos as palavras sábias deste poeta …
    A tua vida é a tua vida
    Não a deixes ser dividida em submissão fria.
    Está atento.
    Há outros caminhos,
    Há uma luz algures.
    Pode não ser muita luz, mas
    vence a escuridão.
    Está atento.
    Os deuses oferecer-te-ão hipóteses.
    Conhecê-las.
    Agarrá-las.
    Não podes vencer a morte, mas
    podes vencer a morte em vida, às vezes.
    E quanto mais o aprendes a fazê-lo,
    mais luz haverá.
    A tua vida é a tua vida.
    Memoriza-o enquanto a tens.
    És magnífico.
    Os deuses esperam por se deliciarem
    em ti.
    Charles Bukowski

    Curtir

Minha vez de ler: deixe um comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Ao que é bem-vindo

A arte que nasce em mim toma forma em si e ganha vida em ti.
outubro 2013
S T Q Q S S D
« set   nov »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
%d blogueiros gostam disto: