A natureza do inexplicável


Barcelona, 2011

Consequente a minha insistência em abordar o assunto, fui uma vez perguntado por que tamanha idolatria em viajar e morar fora.

Surpreendi-me com minha incapacidade de descrever o sentimento. Palavras não resolvem todas as demandas da linguagem.

Como traduzir a experiência e suas radiações para a imaginação de outrem?

Nada cabe, pois, viajar é andar nu. No início, pode causar estranhamento. Insegurança por estar despido, sem proteções ou qualquer outra camada.

Bate vento, faz-se frio. Medos frente a frente, sem bolso para segurar. Inibição em falar, agir, tentar…

Até que há um momento, onde cada um tem seu quando, que uma pergunta faz mais sentido que qualquer resposta:

Existe algo mais confortável que estar nu?

(Marcelo Penteado)

Anúncios

Sobre Marcelo Penteado

My writing may speaks for me: https://www.facebook.com/sigoescrevendo

4 Respostas para “A natureza do inexplicável

  1. Sérgia de Lima Juraski

    Belo texto. Mas “belo” não é a palavra exata para descrever esse texto. “Palavras não resolvem todas as demandas de linguagem.” Assim me senti ao ler, assim me sinto ao viajar.

    Curtir

  2. Nossa! Bem interessante sua abordagem, suas reflexões…

    “Palavras não resolvem todas as demandas da linguagem. “ Isso é uma realidade, uma incontestável, verdade… Então, uma metáfora, extremamente bem colocada: “Nada cabe, pois, viajar é andar nu. (…) Existe algo mais confortável que estar nu? ”

    “Partir!
    Nunca voltarei,
    Nunca voltarei porque nunca se volta.
    O lugar a que se volta é sempre outro,
    A gare a que se volta é outra.
    Já não está à mesma gente, nem a mesma luz, nem a mesma filosofia.”

    Álvaro de Campos( heterônimo de Fernando Pessoa)

    Curtir

  3. Ana Silva

    Posso fazer minhas, as suas palavras? Compreendo totalmente esse sentimento de liberdade ao mesmo tempo essa insegurança da falta de bolsos…

    Curtir

  4. Helena

    Passei por algo parecido. Depois de anos planejando um intercâmbio, essa semana eu finalmente consegui realizá-lo. Acontece que, mal cheguei aqui em Vegas e tive vários perrengues, coisas que nunca imaginei passar, me senti desprotegida por estar longe de minha terra natal e com medo, muito medo, do desconhecido. Como foi dito no texto, senti-me nua e perguntei a mim mesma algo como “por que tamanha idolatria em viajar e morar fora?”, eis que a resposta está justamente no motivo da pergunta. O novo sempre causa medo, mas o fascínio que o novo causa em mim, me faz superar esse medo e estar aberta para o mundo.
    Ótimo texto, Marcelo. Seu dom para a escrita é algo maravilhoso.
    Abraços;
    Fique bem 🙂

    Curtir

Minha vez de ler: deixe um comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Ao que é bem-vindo

A arte que nasce em mim toma forma em si e ganha vida em ti.
janeiro 2014
S T Q Q S S D
« dez   fev »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
%d blogueiros gostam disto: