sigoescrevendo

Um manifesto de palavras sob a regência de cada momento.


Safra de Gurus


2015, Rio de Janeiro
2015, Rio de Janeiro

É preciso ter bastante cuidado para não sobrecarregar a mente com ensaios sobre verdades.

São tantas coisas sendo ditas, por tantos heróis de si mesmos. Gurus de palavras bem orquestradas.

A causa, provavelmente nobre, de iluminar caminhos terceiros pode camuflar a frustração de quem sequer encontrou-se por completo.

Indispensável, por sua vez, a oxigenação de estar perdido. Do sentimento à percepção. O jogo de xadrez com a mente, a conversa múltipla de uma só voz. A desproporção plural e superior de pensamentos por segundo.

A indecisão se alimenta de possibilidades que procriam na mente, em um descontrole desenfreado.

Tudo que se sente enquanto não se sabe com exatidão. Até perceber a beleza de confundir no horizonte esperança e consolação. Tolerar o medo do não saber é o que nos reconecta a confiar nos próprios sentidos.

Como passar por isso, se não só?

Embora a inércia seja a vitória da morte, a vida não é exatamente seu oposto. Há no conflito o combustível da alternância – a mais pura fração incandescente do encontro. 

Um momento é a sobreposição de outro. O espaço encontra significado entre uma vírgula e a eternidade. Ao final, apesar do tanto que se fala, precioso é o que se escuta no silêncio.

(Marcelo Penteado)


Minha vez de ler: deixe um comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: